Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

CBIC propõe ao governo redução imediata da alíquota de importação do aço

Em matéria sobre o aço, o Estadão destaca a proposta de zerar o imposto de importação do insumo por seis meses, prorrogáveis por mais seis meses, apresentado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) ao Ministério da Economia. Atualmente a alíquota é de 12%.

O pedido de corte da alíquota foi formalizado na semana passada pelo presidente da entidade, José Carlos Martins, em reunião com o secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Da Costa.

O objetivo é favorecer a entrada de aço importado no mercado brasileiro, ampliar a oferta do insumo e forçar uma queda nos prazos de entrega e preços por parte das siderúrgicas locais.

Em levantamento realizado junto a 206 empresas construtoras de todo o País, 84% das empresas indicaram desabastecimento de aço em suas regiões. A pesquisa também mostrou que 82,9% das construtoras relataram que as entregas do aço estão levando mais tempo que o normal. Só 14% dizem receber em até 30 dias, enquanto 66% ficam entre 30 e 90 dias, e 20% falam em mais de 90 dias.

“Precisamos de um choque de oferta para restabelecer o equilíbrio entre a oferta e a demanda. Nossa proposta é a redução imediata da alíquota de importação”, disse Martins.

O executivo também enfatizou que, enquanto o abastecimento não for normalizado, não será possível estabilizar preços.

Veja a íntegra da matéria no site do Estadão.