Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Cortes no Orçamento de 2021 podem paralisar obras e gerar desemprego, alerta CBIC

O setor da construção está perplexo com os vetos do Executivo ao Orçamento de 2021 pela falta de sensibilidade com a realidade nacional. A expectativa é de que o Congresso Nacional possa reverter a situação do faixa 1 do Casa Verde e Amarela, com recursos exclusivos do Orçamento, que foi praticamente zerada. “Previa aproximadamente R$ 1,5 bilhão, sobraram R$ 29 milhões”, destaca o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins.

São obras em andamento, que empregam em torno de 250 mil trabalhadores diretos e outros 600 mil indiretos. Essas obras foram contratadas há bastante tempo, ou então são obras que foram paralisadas no passado justamente por falta de pagamentos, e agora retomadas.

São contratos a preço fixo, por isso já estão sofrendo muito com o aumento nos custos dos insumos. “Essa notícia de não pagamento será fatal para as construtoras”, ressalta Martins.

Pelos vetos também houve corte na distribuição de água e outras áreas do saneamento. Enfim, houve um evidente rompimento de contratos.

Matéria publicada na Agência CBIC