Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Macro Visão FIESP: Economia Brasileira

Ibre/FGV: Índice de confiança do comércio encerra com 99,6 pontos em setembro, aumento de 3,0 pontos em relação a agosto

Índice de confiança do comércio encerra com 95,8 pontos em outubro, queda de 3,8 pontos em relação a setembro. Em comparação com o mesmo mês de 2019 o índice apresenta 2,4 pontos abaixo. Este mês teve a primeira queda após cinco meses consecutivos de aumento.

O índice da situação atual apresenta queda de 1,5 pontos, chegando a 105,1 pontos neste mês, sendo assim, com a queda apresenta a segunda melhor variação desde janeiro até o mês atual. 
Após queda em julho de 3,0 pontos, o índice de expectativas volta a cair, neste mês a queda é de 5,8 pontos, encerrando o mês com 86,6 pontos.

Focus: Projeções para IPCA aumentam 0,34 p.p na última semana; PIB apresenta aumento de 0,19 p.p e fechamento do ano é esperado em -4,81; Expectativas da produção Industrial apresenta aumento de 0,08 p.p; e projeções da taxa de câmbio encerra a última semana com aumento de 0,05 p.p

Projeção de IPCA para final do ano sobe 0,34 p.p na última semana, sendo a décima primeira semana de aumento consecutivo. Em junho, estimava-se que o ano encerraria com 1,61%, atualmente está em 2,99%. Este crescimento é explicado pelo repasse dos preços no atacado, que vem subindo fortemente devido ao crescimento das cotações de commodities no mercado internacional e da desvalorização do Real. 

Projeção para variação do PIB apresenta aumento de 0,19 p.p na última semana, com fechamento do ano previsto para -4,81%, segunda semana consecutiva de aumento.

Projeções da Produção industrial apresenta aumento de 0,08 p.p, sendo a terceira semana consecutiva de aumento, com isso a expectativa é de que encerre o ano em -5,9%.

Projeções da Taxa de Câmbio teve alta de 0,05 p.p, mesmo aumento divulgado na última semana, com isso projeções é de que encerre o ano em R$ 5,4.

FISP/CIESP: Projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2021
Apesar do forte recuo da atividade no segundo trimestre, o conjunto de indicadores disponíveis mostra que a retomada da atividade econômica está ocorrendo mais rapidamente do que antecipado, levando a revisões para cima na expectativa para o resultado do PIB em 2020.

A nossa projeção para o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 é de uma queda de 4,5%, resultado levemente acima da expectativa do mercado (-4,84%). A previsão para o PIB da indústria é de um recuo de 4,7%, com a indústria de transformação caindo 7,1%. 

Para o PIB de 2021, projetamos crescimento de 4,0%, número superior ao esperado pelo mercado (3,42%). 

O PIB da indústria deve avançar 4,5%, já para o PIB da indústria de transformação a nossa previsão é de uma alta de 5,9%.

As demais projeções são apresentadas na tabela abaixo.

Vale considerar que dada a excepcionalidade da crise deste ano, o nível de incerteza está muito acima do usual, tornando o exercício de projeção ainda mais desafiador. Nesse contexto, as previsões poderão naturalmente sofrer revisões de maneira mais frequente.

 
Matéria publicada na FIESP