Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Manual de aditivos para concreto recebe atualização em 2021

Com o apoio do comitê técnico IBRACON-IBI (Instituto Brasileiro do Concreto e Instituto Brasileiro de Impermeabilização) o grupo técnico da Câmara de Fabricantes de Aditivos finaliza a revisão do manual de aditivos para concreto, a fim de relançá-lo em 2021. O trabalho tem a consultoria do professor-doutor Renan Pícolo Salvador e serve para ajudar na interpretação das normas técnicas que cercam o tema e facilitar o uso no dia a dia das obras.  

O público-alvo do manual são as empresas que utilizam concreto dosado em central e argamassa usinada, além da indústria de pré-moldados, fábricas de artefatos de cimento e construtoras que produzem o próprio concreto e a argamassa. O público indireto são os consumidores do produto concreto, que são os profissionais das construtoras, empresas de serviços de aplicação de concretos e argamassas, executores de pisos industriais, associações e escolas de engenharia civil e arquitetura. 

Segundo Shingiro Tokudome, coordenador da Câmara de Aditivos do IBI, o entendimento dos profissionais da área técnica sobre as propriedades e influências dos aditivos para concreto vem melhorando progressivamente. Com a edição atualizada do manual, ele espera alcançar também as escolas de engenharia. “Antes da pandemia, as empresas fabricantes de aditivos para concreto vinham realizando treinamentos em faculdades de engenharia de forma presencial. Agora, a Câmara de Fabricantes de Aditivo irá intensificar isso de forma virtual”, diz. 

Manual também reforça recomendações para concretagem em dias quentes e dias frios 
Sobre a 2ª edição do manual, o professor-doutor Renan Pícolo Salvador, que é coordenador do curso de mestrado em engenharia civil da Universidade São Judas Tadeu, em São Paulo-SP, afirma que a atualização se fez necessária em função da revisão da ABNT NBR 11768 (Aditivos químicos para concreto de Cimento Portland – partes 1, 2 e 3) publicada em outubro de 2019. “O manual foi pensado para quem irá aplicar a norma no dia a dia. Ele define os tipos de aditivos, mostra os ensaios de caracterização, a compatibilidade dos aditivos, a dosagem, como pedir, receber e armazenar e o uso correto dos equipamentos”, explica. 

O manual também aborda as principais recomendações para concretagem em dias quentes e concretagem em dias frios, já que os fatores climáticos influenciam a dosagem de aditivos. Da mesma forma, orienta como fazer o descarte e como proceder em caso de vazamento do produto químico. Para finalizar, Renan Pícolo Salvador destaca que o manual reforça o conhecimento essencial sobre o uso de aditivos. “É necessário rigor na manipulação e na aplicação. Vale lembrar também que aditivos não fazem milagre. Eles ajudam um concreto bom a ser tornar ainda melhor”, destaca.  

Quando for publicada, a 2ª edição do “Manual de Utilização de Aditivos para Concreto” estará disponível na página do Instituto Brasileiro de Impermeabilização.

Matéria publicada no Massa Cinzenta