Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Pré-fabricação em concreto: exemplos de aplicação em infraestrutura no Brasil e seus benefícios para a sociedade

 

Por ENG. ÍRIA LÍCIA OLIVA DONIAK – Presidente-Executiva 
Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto − ABCIC

1. INTRODUÇÃO

A pré-fabricação em concreto, por seus inúmeros benefícios, vem sendo utilizada em todo o mundo, em obras de diferentes segmentos da economia. A redução significativa dos prazos de execução, que chegam a até 50%, e a maior qualidade em relação aos métodos convencionais de construção têm sido, especialmente para investidores, as principais razões para adoção do sistema. 

Cada vez mais, as soluções pré-fabricadas se destacam por seu uso em obras de infraestrutura, especialmente na Engenharia de Transportes, que engloba a aplicação em pontes, viadutos, túneis, pavimentos, praças de pedágio, barreiras sonoras, dormentes para linhas ferroviárias, estações de metrô (Foto 1), BRT (Bus Rapid Transport), aeroportos, portos e estaleiros, e energia. No Brasil, isto acontece por conta das demandas que os grandes eventos esportivos entre 2012-2014 trouxeram e da necessidade de investimentos em infraestrutura (Anuário ABCIC, 2016) [1] (Tabela 1). Soma-se a isso, a minimização de impactos de redução de tráfego e de acidentes, bem como de tempo e consumo de combustível, no caso de ampliações, duplicações e alterações em rodovias.

Outro aspecto que tem sido destacado como vantagem na literatura internacional é o comportamento das estruturas pré-fabricadas de concreto frente a cargas acidentais, como incêndio, sismos e ataques terroristas, nas quais a resiliência da solução face a soluções de projeto e sistemas de amortecimento nas ligações minimiza riscos e possibilita incremento significativo na segurança.

A partir dessas considerações iniciais, o presente artigo traz como proposta explorar alguns exemplos recentes de obras de infraestrutura viária no país, destacando os aspectos que viabilizaram a aplicação, englobando os desafios e a inovação no projeto, na produção dos elementos e nos processos de execução (produção e montagem).

Confira o artigo completo no site do Ibracon.