Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

USP e ABCP/SNIC criam HUB de inovação para construção digital 

A Universidade de São Paulo (USP), por meio da Escola Politécnica, a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) e o Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC) assinaram, na tarde desta quinta-feira (03/09/2020), um acordo de cooperação técnica que prevê a concepção, elaboração de projeto, construção e operação, em regime multiusuários, do primeiro espaço cooperativo de inovação e construção digital de base industrial do Brasil, o Hubic.

O evento virtual contou com a participação de autoridades políticas, acadêmicas e empresariais. Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), e Paulo Cesar Rezende de Carvalho Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTI, representaram o governo federal, enquanto Patricia Ellen da Silva, secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, representou o governo paulista. Pela USP, o consórcio foi formalizado na pessoa do reitor Vahan Agopyan, de Liedi Legi Bariani Bernucci, diretora da Escola Politécnica da USP, e de Vanderley John, coordenador do CICS PCC, da POLI, e coordenador do Hubic pela USP. A indústria do cimento, por sua vez, esteve representada no encontro por Paulo Camillo Penna, presidente da ABCP e SNIC, Flavio Aidar, CEO da Intercement e presidente do Conselho da ABCP e SNIC, e Valter Frigieri, diretor de Mercado da ABCP, e também coordenador do Hubic pela indústria.

O acordo foi prestigiado por cerca de 100 pessoas da área acadêmica e do setor da construção. Íria Lícia Oliva Doniak, presidente executiva da ABCIC (Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto), presente ao encontro, parabenizou a ABCP e a USP pela “liderança em importantes desenvolvimentos para a comunidade técnica e para a sociedade, assim como pelo efetivo desenvolvimento da construção civil no Brasil”.

INÍCIO EM 2021
Com previsão de funcionamento no início de 2021, o “Hub” terá o objetivo de acelerar a transição da construção civil para uma economia digital e circular, por meio de soluções inovadoras, competitivas, com baixa pegada ambiental e de alta produtividade e qualidade.

O Hubic receberá, para sua implementação, R$ 8 milhões em investimentos e será instalado na sede da ABCP, interligada ao Campus de São Paulo da USP. O projeto será conectado ao Centro de Inovação em Construção Sustentável, CICS USP, um ecossistema de empresas e academia dedicado a promover a inovação, a sustentabilidade e a produtividade na construção civil.

“Esta parceria é um exemplo significativo da chamada Terceira Missão da Universidade,  ao integrar e unir, no campo da pesquisa aplicada, os esforços da academia e da iniciativa privada em prol da melhoria e da modernização da área de construção e materiais cimentícios, com vistas, principalmente, à produtividade e à redução de impacto ambiental”, destaca o reitor da USP, Vahan Agopyan.

“Vivemos um tempo de múltiplos desafios, nos âmbitos ambiental, concorrencial e institucional. A indústria de cimento tem se mostrado capaz de enfrentar esse mundo complexo, tanto dentro de suas fábricas, quanto nas diversas aplicações do cimento. O acordo com a USP está inserido nessa lógica. Se por um lado o convênio resgata uma história construída ao longo de décadas, por outro ele projeta o elemento inovação como variável de importância crescente para que nossa indústria continue gerando valor e qualidade de vida para toda a sociedade”, afirma Paulo Camillo Penna, presidente da ABCP/SNIC. Ainda segundo o executivo, a digitalização atingirá a construção civil, incluindo a cadeia de materiais cimentícios, gerando ganhos significativos de produtividade e redução de impacto ambiental.

Para absorver esse processo evolutivo, USP e ABCP reúnem expertises e ações que, somadas, cuidarão de alavancar a produção digital de componentes e a transferência de conhecimento e tecnologia para toda a cadeia produtiva da construção e sociedade. “O HUBIC é uma iniciativa que traz a tecnologia da indústria 4.0 para os componentes da construção civil e de infraestrutura, fruto da união da academia, da indústria e dos órgãos públicos e privados, trazendo a tecnologia de ponta para a melhor eficiência das obras, otimização dos materiais, economia e sustentabilidade, beneficiando a indústria e a sociedade”, destaca a diretora da Poli, Liedi Legi Bariani Bernucci.

Matéria publicada na ABCP