Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Veja como a tecnologia 5G vai transformar a construção civil

Inteligência Artificial (IA), Realidade Aumentada (RA), robótica, BIM, Internet das Coisas (IoT). Essas tecnologias têm se incorporado à construção civil rapidamente, mas apenas em países que já dispõem de tráfego de dados em 5G. Este tipo de conectividade é essencial para que o canteiro de obras possa, por exemplo, compartilhar informações online, acessar dados armazenados na nuvem, melhorar a produtividade e promover alterações de projeto em tempo real. No Brasil, ainda não é possível. O 5G só deve começar a ser testado no país em 2021. No entanto, no exterior já há cases do que se pode fazer com a ultravelocidade de internet móvel na construção civil.

Em maio de 2020, entrou em operação na China o primeiro canteiro de obras inteligente do mundo. Em Pequim, a tecnologia 5G possibilitou acoplar uma série de sistemas de controle que impactam diretamente na qualidade, no custo, no prazo e na segurança da construção. Por exemplo, os EPIs (equipamentos de proteção individual) dos operários possuem sensores vinculados à Inteligência Artificial, e que monitoram temperatura, pressão arterial e frequência cardíaca dos trabalhadores. Em tempos de COVID-19, qualquer alteração nos sinais vitais permite que o trabalhador seja levado a um centro médico. “Em combinação com a função de IA, também podemos identificar se os operários estão usando máscaras no local”, explica Zhao Canzhen, engenheiro-chefe de projetos da China Construction Eighth Engineering Division.

Outra inovação no canteiro inteligente chinês é o monitoramento da obra por drones. Os equipamentos passam as imagens para uma central de engenheiros civis, que faz a checagem do que foi construído e consegue intervir em tempo real, caso esteja ocorrendo algum erro que resulte em retrabalho. “Ao usar o 5G, podemos também monitorar guindastes de torres, acoplados a um sistema de controle de segurança multidimensional. Por isso, vamos explorar continuamente outros usos para 5G nesse canteiro de obras e em outros que serão instalados. O próximo passo é testar robôs-construtores”, diz Zhao Canzhen. Esses experimentos ocorrem na construção de um complexo industrial de alta tecnologia na cidade de Yizhuang, subúrbio de Pequim.

Tecnologia 5G torna a ferramenta BIM indissociável dos projetos
O objetivo dos engenheiros com o canteiro de obras inteligente é elevar a produtividade em 15% e reduzir os custos da construção em 6%. No entanto, após 6 meses de operação, a equipe estima que os percentuais alcançados serão relativamente maiores. O que explica isso é o potencial da tecnologia 5G, cuja taxa de transmissão possibilita enviar até 10 GB de dados por segundo. Para o indiano Varun Kumar Reja, pesquisador do IIT Madras (Indian Institute of Technology) e um especialista em aplicações 5G na construção, a tecnologia tornará a ferramenta BIM indissociável dos projetos. “Não haverá outra forma de utilizar todo o potencial das informações passadas pelas tecnologias disponíveis no canteiro de obras sem o uso do BIM”, afirma.

Além da China, Coreia do Sul e Canadá são os próximos países que se preparam para instalar canteiros de obras inteligentes.

Matéria publicada no Massa Cinzenta