Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Arquitetura brasileira de luto: falece Paulo Mendes da Rocha, “ousado iconoclasta”

É com imenso pesar que o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil  noticia o falecimento do arquiteto e urbanista Paulo Mendes da Rocha ocorrido na madrugada deste domingo, 23 de maio. Nascido em Vitória em 25 de outubro de 1928, o arquiteto estava com 92 anos de idade e lutava contra um câncer no pulmão.

Entre outras honrarias,  Paulo Mendes da Rocha  recebeu o Prêmio Mies van der Rohe de Arquitetura Latino-americana em 2000; o Prêmio Pritzker (“o Nobel da Arquitetura”) em 2006; o Leão de Ouro da Bienal de Veneza de 2016; o Imperiale Praemium (Prêmio Mundial de Cultura em Memória de Sua Alteza Imperial o Príncipe Takamatsu do Japão), também em 2016;  e a Medalha de Ouro Real de 2017 do Royal Institute of British Architects (RIBA). Em 5 de maio ele foi anunciado como o ganhador da Medalha de Ouro UIA 2021 que seria entregue no UIA2021RIO. O júri reconheceu “o trabalho único de Mendes da Rocha como o de um ousado iconoclasta cujo trabalho levou a arquitetura a novos patamares de virtuosismo técnico”.?

Paulo Mendes da Rocha era um dos expoentes da chamada “escola paulista”, grupo de arquitetos modernistas liderado por Vilanova Artigas. São de sua autoria projetos como Ginásio do Clube Atlético Paulistano (um dos primeiros trabalhos, com João De Gennaro),  o Museu Brasileiro da Escultura (MuBE), a reforma da Pinacoteca do Estado (com Eduardo Colonelli), o Sesc 24 de Maio (um dos mais recentes, com MMBB Arquitetos) e o Museu da Língua Portuguesa (com o filho Pedro Mendes da Rocha), todos em São Paulo. Outro trabalho recente é o  novo Museu dos Coches, em Lisboa (Portugal), aberto ao público em 2015, e o Sesc 24 de Maio, em São Paulo, inaugurado em 2017.  Ele também projetou o Cais das Artes, em Vitória (Espírito Santo), sua cidade natal, em construção. 

Mendes da Rocha deixa a mulher, Helene, e os filhos Renata, Guilherme, Paulo, Pedro, Joana e Naná. Pedro Mendes da Rocha também é arquiteto e coautor com o pai do projeto do Museu da Lingua Portuguesa. No Facebook, ele postou uma homenagem ao pai: “Depois de tanto projetar edifícios em concreto e aço, meu pai foi projetar galáxias com as estrelas!”.

Matéria publicada na CAU/BR