Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Caixa emprestará mais em 2021

A Caixa Econômica Federal manterá, no pós-crise, a flexibilização do capital de giro para os incorporadores e a melhora da análise de crédito – medidas adotadas durante a pandemia -, e aumentará o financiamento do crédito imobiliário em 2021. A informação é do presidente da instituição, Pedro Guimarães, que participou nesta quinta-feira (3) do 92º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC), realizado 100% online nos dias 2 e 3 de dezembro.

Além disso, Guimarães destacou que uma das novidades previstas pela instituição é que todas as operações de financiamento imobiliário à baixa renda serão feitas pela plataforma digital Caixa Pay.

Ele afirmou que a meta da Caixa para 2021 é aumentar o financiamento do crédito imobiliário com recursos de poupança, via Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). “Recursos do FGTS, a definição é do Conselho Curador do FGTS. Em relação aos recursos de poupança, vamos aumentar em pelo menos 10%”, disse, completando que a entidade continuará emprestando via IPCA e está aberta às sugestões da CBIC.

Acrescentou  que a instituição apoia de modo intenso as concessões municipais. “Somos o maior financiador de saneamento”, disse. Já no que se refere à iluminação pública e aos resíduos sólidos, destacou que há, na Caixa, o Fundo de Apoio à Estruturação de Projetos de Concessão e Parceria Público-Privada (FEP) que financia os estudos para essas operações. “A primeira PPP de Resíduos Sólidos, na região de Minas Gerais, será lançada no dia 7 de dezembro”.

Ressaltou ainda que, com um teto de R$ 100 milhões, a Caixa empresta todos os anos para municípios (mais de 600 neste ano), com garantia do Tesouro Nacional ou do Fundo de Participação de Estados ou Municípios, investimentos para saneamento, iluminação pública e resíduos sólidos.

Matéria publicada na Agência CBIC