Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Com concreto tudo é possível. Até construir uma ilha em NY

Prevista para ser inaugurada entre abril e maio de 2021, a Little Island, em Nova York-EUA, é a prova de que o concreto é o material mais versátil do planeta. Com ele, é possível construir tudo, inclusive uma ilha artificial à beira do rio Hudson.  

O projeto da obra está entre os mais ousados, sob o ponto de vista da engenharia e da arquitetura. A Little Island é formada por 267 pilares de concreto pré-moldado encravados no principal rio de Nova York. Os pilares sustentam 132 enormes peças de concreto pré-fabricado, que se encaixam como um quebra-cabeça para formar a plataforma da ilha.  

Cada estrutura pesa cerca de 70 toneladas, em média. Para fabricá-las, foram criadas fôrmas de EPS recobertas com espuma de poliuretano. O concreto consumido para construir todas as peças chegou ao volume de 10.200 m3. A fim de que os elementos se encaixassem perfeitamente, os projetistas da britânica Arup usaram a ferramenta BIM para gerar scripts paramétricos em 3D. Isso guiou os processos de fabricação de cada uma das estruturas, cuja margem de erro ficou limitada a 3 milímetros. 

A construção da Little Island é financiada com recursos privados da Hudson River Park Trust e do milionário e filantropo nova-iorquino Barry Diller, a um custo de 250 milhões de dólares. O projeto arquitetônico é do Heatherwick Studio, que venceu um concurso público realizado em 2014. Porém, em 2017, chegou a ser considerado inviável, até que as tecnologias do concreto mostraram que a obra tinha como sair do papel. 

A Fort Miller Company foi responsável pela fabricação dos pré-moldados. Quando prontas, as peças foram transportadas por caminhão, da fábrica até as margens do rio Hudson, em um percurso de viagem de uma hora. Antes de serem embarcados em barcaças, os elementos eram montados e viajavam de 4 em 4 unidades até o canteiro de obras da Little Island. Um guindaste flutuante foi usado para encaixar as peças no conjunto de estacas. 

Little Island é ponto de partida para a construção pré-fabricada com alta complexidade  
Mais de cem espécies diferentes de árvores e plantas nativas adequadas ao clima de Nova York estarão na Little Island, que se encontra em fase de paisagismo. A construção ainda terá um teatro a céu aberto para 700 lugares e poderá receber até 3.500 pessoas por dia para caminhadas em suas trilhas. O espaço mede 9.800 m2

Para os engenheiros-projetistas da Arup, Yong-Wook Jo, David Farnsworth e Jacob WiestArup, a Little Island pode ser considerada um ponto de partida inovador para a construção pré-fabricada com alta complexidade, a partir do uso do BIM e do design digital. “O principal desafio de gerar, projetar, comunicar e fabricar a geometria complexa foi superado com o uso intensivo de scripts paramétricos, automação e comunicação de dados digitais na fase de projeto e concepção dos elementos”, dizem os projetistas. 

Para eles, a tecnologia de pré-moldados de concreto ultrapassou o convencional para viabilizar a Little Island. Por causa da complexidade do projeto, e da burocracia para conseguir liberar a construção, a obra sofreu atraso de 48 meses. “Nesse período, fizemos descobertas importantes para o futuro da construção industrializada do concreto”, completam os engenheiros. 

Veja vídeo sobre o processo de fabricação e montagem das estruturas da Little Island.

Matéria publicada no Massa Cinzenta