Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Financiamentos imobiliários somam R$ 10,8 bilhões, no melhor julho desde 2013

Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) atingiram R$ 10,82 bilhões em julho de 2020, com crescimento de 16,7% em relação ao mês anterior e alta de 61,5% comparativamente a igual mês do ano passado.  Foi o segundo melhor resultado para um mês de julho na série histórica pós-Real.

Entre janeiro e julho de 2020, os empréstimos destinados à aquisição e construção de imóveis alcançaram R$ 54,17 bilhões, alta de 34% em relação a igual período de 2019.

No acumulado de 12 meses (agosto de 2019 a julho de 2020), os empréstimos habitacionais no SBPE somaram R$ 92,45 bilhões, avanço de 36,8% em relação ao apurado nos 12 meses anteriores.

Financiamentos Imobiliários – Unidades

Foram financiados, em julho de 2020, nas modalidades de aquisição e construção, 36,8 mil imóveis, resultado 11,1% superior ao de junho e 47,8% superior ao apurado em julho de 2019.

Nos primeiros sete meses de 2020, foram financiadas aquisições e construções de 197,5 mil unidades, resultado 28,2% superior ao de igual período de 2019.

Nos últimos 12 meses (agosto de 2019 a julho de 2020), os financiamentos viabilizaram a aquisição e a construção de 341,4 mil imóveis, alta de 29,5% em
relação aos 12 meses anteriores, quando 263,6 mil unidades foram beneficiadas pelo crédito imobiliário do SBPE.

Poupança SBPE: Captação Líquida

Como vem sendo observado nos últimos meses, a poupança captada pelos agentes financeiros do SBPE registrou desempenho expressivo em julho, com captação líquida de R$ 22,4 bilhões – a mais elevada para um mês de julho da série histórica iniciada em julho de 1994 e a terceira maior da história. Um conjunto de fatores parece contribuir positivamente para esse desempenho, como a redução do consumo devido ao isolamento social, maior preocupação financeira das famílias com o futuro próximo, queda da rentabilidade das demais aplicações de renda fixa e volatilidade expressiva no mercado de renda variável.

Esses fatores levam muitas famílias a alocar ou ampliar os recursos depositados nas cadernetas. Além disso, o pagamento do auxílio emergencial, disponibilizado em contas de poupança, também deve ter algum impacto na captação, pois, em muitos casos, as famílias usam as cadernetas como se fossem contas correntes.

Ante o desempenho favorável dos depósitos e o crédito de rendimentos, o saldo das cadernetas do SBPE alcançou R$ 757,5 bilhões em julho, alta de 3% no mês e de 22% em relação a julho de 2019.

Matéria publicada na Abrainc