Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Entidade da indústria de construção diz não ver novidade no Pró-Brasil

O presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Carlos Martins, afirmou que precisa analisar com mais profundidade o programa Pró-Brasil, anunciado ontem pelo governo, para ver qual a novidade nele. Pelo que foi anunciado ontem não vi nada de novidade. Preciso ver mais profundamente, frisou.

Ele participou nesta quinta-feira, junto com o presidente da Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Luiz Antonio França, do lançamento de 'live' para explicar a campanha "Vem Morar", que dará um benefício mínimo de R$ 3 mil das empresas aos clientes.

Martins destacou que em algum momento o setor imobiliário deve estar no pacote de ajuda do governo. Durante a live, tanto Martins quanto França ressaltaram a importância da construção civil para a retomada da economia e manutenção de emprego. Representantes têm apresentado vários pleitos e conversado com Banco Central, com os ministérios da Economia, da Casa Civil e do Desenvolvimento Regional para estimular o setor neste momento e após a crise.

Sobre a reformulação do programa Minha Casa, Minha Vida, o presidente da CBIC disse que o governo está trabalhando na nova versão, mas não tem nada já definido para o anúncio. Ideia era ter algo mais para o fim de maio algo a respeito, mas não tem nada certo, contou Martins.

Estímulo aos clientes

A campanha Vem Morar, que prevê a concessão de voucher mínimo de R$ 3 mil a consumidores, sob forma de desconto no valor do imóvel ou, por exemplo, no abatimento do Imposto de Transição de Bens Imóveis (ITBI) ou de parcelas do condomínio, foi antecipada pelo Valor em 9 de abril.

A partir de hoje, as incorporadoras interessadas em participar da iniciativa deverão informar sua intenção à Caixa Econômica Federal. O banco público vai autorizar que as incorporadoras utilizem sua logomarca na campanha. A iniciativa terá duração de 60 dias e vai abranger de 1.600 a 1.800 incorporadoras que já operam com a Caixa e outras que aderi

Os clientes terão seis meses de carência para pagar a primeira prestação à Caixa, conforme o pacote anunciado pelo banco público em 9 de abril. O objetivo da campanha é manter empregos, disse Martins, da CBIC.

De acordo com França, da Abrainc, o setor de construção está operando com 87% das obras no Brasil. Estamos trabalhando com funcionários em segurança, mas as vendas também são importantes. Quando as empresas começam a vender em maior volume, podem ter novos lançamentos, disse França. Segundo Martins, a expectativa é que as obras prossigam.

Os presidentes da Abrainc e da CBIC preferiram não fazer projeções de lançamentos imobiliários para 2020. Está se caminhando para discussão de uma reabertura responsável. Não tenho dúvida de que o governo deverá pensar em políticas anticíclicas que vão estimular o comprador a fazer aquisição de imóveis, afirmou França.

Matéria publicada no Valor Econômico