Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Norma comentada: ABNT NBR 16475 – Painéis de Parede de Concreto Pré-Moldado – Requisitos e Procedimentos

A ABNT NBR 16475 – Painéis de parede de concreto pré-moldado – Requisitos e procedimentos ganha cada vez mais importância no universo da construção civil. Isso porque, para aumentar a produtividade nas obras, o processo de industrialização deve ser cada vez mais analisado e contemplado.

De acordo com Augusto Guimarães Pedreira de Freitas, coordenador da norma ABNT NBR 16475 e conselheiro da Abece, o principal objetivo da busca por uma norma específica é difundir o uso do sistema construtivo de painéis, de forma segura e com condições que permitam aos profissionais da área desenvolver projetos e produzir painéis. “Além disso, por mais que esse sistema esteja sendo utilizado no Brasil há décadas, alguns construtores e/ou agentes financiadores de obras não se sentem seguros e respaldados em adotar um sistema sem norma nacional”, destaca Freitas. 

Outra característica fundamental dessa norma é a sua abrangência. Ou seja, ela aborda os sistemas habitacionais, em especial no programa Minha Casa Minha Vida, onde os painéis são largamente empregados, e todos os tipos de usos dos painéis que são muito utilizados em outros segmentos e em maiores dimensões como shopping centers, centros de distribuição e logística, entre outros.

Parede de concreto pré-moldado: características da NBR 16475

A presente norma limita-se a painéis com espessura inferior ou igual a 25 cm e dimensão horizontal menor ou igual a 12m. Estão incluídos: painel de parede maciça (estrutural ou não-estrutural); painel de parede alveolar como elemento de vedação; painel de parede nervurado (estrutural e não-estrutural); painel de parede sanduíche (sem ligação rígida, ou seja, o conjunto de peças é considerado sem função estrutural ou como seção composta), painel de parede dupla e painel de parede reticulado misto (não estrutural). 

É importante destacar que a norma apresenta as características geométricas necessárias e as condições de fabricação e montagem. “Do ponto de vista do projeto, existe uma formulação para o dimensionamento das peças, além de todas as considerações de esforços que impactam nesse dimensionamento. Ainda trata das ligações entre elementos e de um ponto muito importante, a questão de Integridade Estrutural da Estrutura final”, explica o autor da norma.

Com relação à produção, um aspecto de destaque e que, muitas vezes, é deixado um pouco de lado, trata-se da movimentação e do estoque das peças. “Estas peças podem sofrer danos sérios se não atendidos os requisitos normativos, vindo a comprometer o desempenho da estrutura final. Assim, é fundamental o cuidado relativo a estas etapas”, explica Freitas.

O principal desafio é adaptar as questões de fabricação, específica de cada sistema variante, às necessidades e especificações da norma. Os elementos de ligação devem atender a diversos requisitos exigindo, algumas vezes, a comprovação experimental do tipo de ligação adotada. “Como todo sistema pré-moldado, existe a complexidade de se verificar situações e esforços transitórios de montagem e de ligações parciais, além da situação final da estrutura em uso”, ressalta o autor da norma.

Normas complementares

De acordo com Freitas, a NBR 16475 está alinhada com a Norma de Desempenho, NBR 15575 – Edificação Habitacionais – Desempenho, e vem, inclusive, para colaborar, de uma maneira mais fácil em seu atendimento, que tem exigido que os diversos produtos da construção civil tenham normas prescritivas específicas. Outra norma importante e referencial é a ABNT NBR 9062: Projeto e Execução de Estruturas de Concreto Pré-moldado.

“Além disso, corroborando com a questão logística, recentemente, a Abcic lançou o Manual de Montagem das Estruturas Pré-Moldadas de Concreto, no qual estão todos os cuidados com planejamento, logística, integridade e segurança durante a montagem, considerando desde as interfaces com o projeto até as situações transitórias e estabilidade”, destaca o autor da norma e conselheiro da Abece.

Do ponto de vista de uso, de acordo com Freitas, ainda não é necessário realizar nenhuma modificação na norma atual. “O que existe é uma nova formulação para o dimensionamento das peças, produzida pelo nosso saudoso professor Mário Franco que, certamente, entrará quando da revisão da norma, prevista para 2022”, complementa.

Autor: Augusto Guimarães Pedreira de Freitas, coordenador da norma ABNT NBR 16475 e conselheiro da Abece.

Matéria publicada no Mapa da Obra