Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Abcic Networking V reuniu o setor para apresentar tecnologia inovadora em transporte

No dia 31 de junho, o Abcic Networking V reuniu a cadeia produtiva do pré-fabricado de concreto, em São Paulo, para apresentar uma tecnologia inovadora para o transporte de estruturas. O encontro é reconhecido pelo mercado por levar informação qualificada sobre os assuntos mais relevantes relacionados à construção industrializada de concreto.

A abertura do evento ficou a cargo da engenheira Íria Doniak, presidente executiva da Abcic, que detalhou as atividades desenvolvidas pela entidade para o mês de agosto, como o Seminário no Concrete Show e o lançamento do Manual de Montagem das Estruturas Pré-Moldadas de Concreto, comentou sobre a agenda de eventos neste semestre e sobre a newsletter, que procura informar sobre todas as ações, eventos e movimentos estratégicos com a participação da Abcic, e anunciou o retorno e a entrada de novos associados. 

“O Abcic Networking é um encontro desenvolvido para atender as demandas do setor, por meio da disseminação de informações qualificadas sobre os temas atuais de maior interesse de nossos associados e de profissionais que congregam a cadeia produtiva de nosso setor. Nesse contexto, agradeço a Labor Equipamentos Rodoviários por apresentar essa solução de transporte que, certamente, vai beneficiar a indústria em termos de produtividade, segurança, qualidade e rapidez”, afirmou Íria.

Na sequência, os participantes foram conhecer o sistema de transporte da Labor Equipamentos Rodoviários. O semirreboque Concrete Loader é ideal para o transporte de estruturas pré-fabricadas de concreto de até quatro metros de altura, incluindo painéis arquitetônicos, escadas e lajes, uma vez que não necessita de licenças especiais, proporcionando segurança, economia e produtividade na operação. 

“Nos últimos dois anos, nós trabalhamos para desenvolver essa tecnologia, cuja engenharia e fabricação são 100% nacional. Ela tem um conceito diferente, baseado em dois pontos, o primeiro é contribuir para a evolução na engenharia de obras, por meio do desenvolvimento de peças diferentes, já que a carreta permite transportar peças de até 4m de altura e 10m de comprimento em um vão de 1,55m com carregamento e 29 toneladas. Já o segundo é a parte logística, que é bem diferente do convencional”, disse Heberson Cosso, diretor da Labor.

O carregamento das estruturas é realizado em uma prancha na fábrica a qualquer hora, sem necessidade da presença do caminhão. Da mesma forma, o descarregamento não exige a presença de muncks e guindastes antes da montagem. Com sistema de aperto automático eletro-hidráulico para amarração da carga e suspensão pneumática independente (sem eixos), o semirreboque fique a 4 cm do solo na carga e descarga.

Na sequência, os benefícios do sistema de transporte foram evidenciados pela apresentação de diversos cases de duas empresas, a Kronan e a Leonardi Construção Industrializada. Pela Kronan, o gerente técnico Martin Paul Schwark afirmou que a produtividade com o uso desse semirreboque é muito maior, mas que é necessário ter uma outra visão sobre a logística bem com verificar a adequação da solução no transporte das estruturas.

Já Alex Alves, gerente de Produção Industrial da Leonardi, enfatizou o case do Campo de Provas da Mercedes-Benz no Brasil, situado em Iracemápolis, no interior de São Paulo, no qual foram produzidas 844 placas, com dimensões gerais de 3,7m por 5m, espessura variando de 30 à 75cm e peso de 13 à 22 toneladas, que precisaram ser levadas por uma rodovia de alto tráfego. Outros casos apresentados foram o projeto Sirius, com peças cilíndricas de concreto, com 6,5m e seção de 1 x 1m e uma edificação em São Paulo, com três painéis arquitetônicos de arquitetura singular, além de projetos com pilares com seções diferenciadas, com peças frágeis e peças para infraestrutura.

Segundo Alves, todos esses cases mostram a versatilidade dessa solução de transporte, que pode atender diversos tipos de obras. “O semirreboque Concrete Loader possibilita um carregamento muito mais rápido e seguro e a operação no canteiro de obras torna-se mais simples”, concluiu.

A cobertura completa do Abcic Networking V será divulgada na edição 18 (Dezembro) da Revista Industrializar em Concreto