Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Construção Civil perdeu 440 mil ocupações no primeiro trimestre do ano

A Construção Civil registrou  perda de 440 mil pessoas ocupadas no primeiro trimestre de 2020, em relação aos três últimos meses do ano 2019. É o que revela a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios – Contínua (PNADContínua), divulgada nesta quinta-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Isso significa que o número de ocupados no setor, no período de janeiro a março/2020, sofreu uma retração de 6,5%, passando de 6,820 milhões de pessoas no período de outubro a dezembro/2019 para 6,380 milhões de janeiro a março/2020.

Na avaliação da economista do Banco de Dados da CBIC, Ieda Vasconcelos, o número de ocupações perdidas pelo setor, considerando essa base de comparação, foi o maior desde o início da série histórica da referida pesquisa, em 2012. Ressalta-se que a Construção Civil foi o segundo setor com maior queda no número de ocupações (440 mil) no período analisado ficando atrás somente do comércio (628 mil).

“Apesar de grande parte relativa aos três primeiros meses do ano ainda estar fora do cenário da pandemia provocada pela Covid-19, é preciso considerar que o impacto no mercado de trabalho do setor já foi maior do que o esperado, especialmente considerando que a projeção de crescimento para o PIB setorial, nos primeiros meses do ano, era de 3%”, afirma Vasconcelos.

A recuperação da Construção Civil ganhava força em 2020. Depois de cinco anos de queda (2014-2018), o setor registrou expansão de 1,6% em seu Produto Interno Bruto no ano passado e esperava consolidar a retomada de suas atividades.

Veja íntegra na análise.

Matéria publicada na Agência CBIC