Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Indústria do aço promove confraternização com participação do secretário especial do Ministério da Economia

No dia 26 de novembro, o Instituto Aço Brasil promoveu, no Hotel Hilton, no Rio de Janeiro, o almoço de confraternização da indústria do aço. O tradicional evento contou com a presença de dirigentes do segmento, de representantes da cadeia de produção e de instituições públicas e privadas, incluindo a Abcic, que foi representada pelo associado da entidade e suplente do Conselho Fiscal, Claudio Castilho, da Engemolde.

“O evento foi positivo e contou com a presença do Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Jorge da Costa, que em seu discurso enumerou diversas ações que a sua pasta e o Governo Federal têm implantando para destravar a economia e melhorar o ambiente de negócios”, disse Castilho. 

Segundo o secretário, está sendo iniciado um novo ciclo de reindustrialização brasileira. “O Brasil tem tudo para ser uma potência industrial. É só o governo não atrapalhar. É só não inflar os juros artificialmente, apreciar câmbio artificialmente, tributar excessivamente a produção. A construção, por exemplo, voltou ao nível de emprego em 2012. O índice de confiança subiu para 62, cresceu 3 pontos em relação a outubro. E esse segmento é importante por ser altamente gerador de empregos e movimentar a economia”, disse.

Em seu discurso, Costa ainda trouxe informações sobre diversos segmentos ligados à infraestrutura, como o saneamento, as rodovias, energia elétrica, telecomunicações e ferrovias. Ele ainda citou que o governo está empenhado em resolver os problemas microeconômicos, tendo como primeira ação a desburocratização, simplificação e melhoria do ambiente de negócio. “O que precisa para crescer? Ambiente regulatório adequado, infraestrutura concorrência, capital humano”, ponderou. 

O secretário ainda afirmou que um dos focos do Governo está na redução do Custo Brasil. Para isso, está em desenvolvimento um portal, onde as associações e empresas serão habilitadas por um comitê para terem acesso ao site, a fim de fazer suas recomendações de melhorias de políticas públicas. As políticas sofrerão alterações conforme a complexidade e o impacto das propostas. “Com isso, construiremos um Brasil mais moderno e competitivo. Isso é uma mudança institucional histórica, porque a partir da implantação do portal, não será mais quem tem acesso a pessoa A, B ou C que será favorecido, haverá um método, um objetivo, um foco e um norte para que o nosso país continue a deslanchar”, finalizou.