Associação Brasileira da Construção

Industrializada de Concreto

Saem os primeiros resultados da pesquisa do SindusCon-SP e do Seconci-SP sobre prevenção à Covid-19 nos canteiros de obras

Construtoras Paulistas no Combate à Covid-19” mostram a assertividade das empresas na prevenção à doença nos canteiros de obras. Realizada por SindusCon-SP e Seconci-SP, a enquete é permanente.
Nesta primeira rodada, foram obtidas respostas de empresas que totalizam 6.585 empregos diretos e terceirizados, de 1 a 12 de maio. Respostas de mais construtoras estão chegando, e deverão compor os resultados da próxima rodada.
Das empresas pesquisadas, apenas cerca de 1% dos trabalhadores haviam sido afastados por suspeita de Covid-19, e 0,37% tiveram confirmação de terem contraído a doença provocada pela contaminação do novo coronavírus.
As construtoras relataram, no período, a existência de 202 obras em andamento e 7 paradas, e que 98% do pessoal se encontrava ativo. Havia 63 casos suspeitos de contaminação e 25 confirmados. Somente 4 trabalhadores estavam internados, 3 dos quais com Covid-19 confirmada, e nenhum óbito se registrara.
De acordo com os presidentes Odair Senra, do SindusCon-SP, e Haruo Ishikawa, do Seconci-SP, a pesquisa demonstrou cabalmente a efetividade das medidas de prevenção adotadas para combater a Covid-19 nos canteiros de obras. Eles destacaram que, quanto mais construtoras responderem, mais o setor poderá acompanhar a evolução dos casos e adotar novas ações das entidades.
A pesquisa mostrou que todas as empresas pesquisadas haviam adotado medidas preventivas nos canteiros de obras: medição de temperatura; higienização das mãos; orientações diárias sobre os cuidados preventivos; higienização e demarcação em áreas de vivência; horários escalonados para entrada, saída e refeições; fornecimento de máscaras para o transporte e limpeza de equipamentos e ferramentas.
Além disso, 93% das construtoras orientavam sobre a limpeza dos Equipamentos de Proteção Individual e distribuíam informativos eletrônicos de orientação; 87% forneciam máscaras para utilização na obra e divulgavam aos trabalhadores os cartazes e vídeos do SindusCon-SP e do Seconci-SP, e 80% haviam fixado informativos nos locais de circulação.
O relatório completo está disponível aqui
Matéria publicada no Sinduscon-SP